out 21

Content Management SystemCMS (Content Management System) — ou em português SGC (Sistema de Gestão de Conteúdo) — está no mercado há muitos anos para facilitar a vida de designers, programadores e gerenciadores de conteúdo, com ferramentas para facilitar o trabalho de todos dando mais agilidade e produtividade na produção de sites, sejam eles Internet ou Intranet.

Hoje vou mostrar um pouco o que é uma ferramenta de CMS, qual o seu objetivo principal, porque usar para desenvolvimento do seu website e também alguns das mais populares ferramentas de CMS disponíveis no mercado, sejam elas free ou pagas.

Então clique no link abaixo e continue a leitura.

O que é CMS?

Como já foi dito, CMS é uma ferramenta que visa facilitar o trabalho dos designers, desenvolvedores e os gerenciadores de conteúdo dando mais autonomia, agilidade e produtividade na construção do website e na construção do conteúdo.

O objetivo principal de uma ferramenta de CMS é dar essa maior autonomia para o gerenciamento do conteúdo, deixando de lado assim aquela personagem do Webmaster a cada vez que um conteúdo precise ser atualizado ou então algum tipo de conteúdo (novos formatos de notícias, artigos, documentos, etc.) precisem ser criados.

Com o grande crescimento da Internet, foi surgindo cada vez mais a necessidade de facilitar a criação e publicação de conteúdo na Web. Junta-se isso à evolução das tecnologias de desenvolvimento de sistemas tais como linguagens de programação, bancos de dados, maturidade para o desenvolvimento web, novos padrões de desenvolvimento)… e temos o CMS!

Basicamente um CMS é composto das seguintes partes:

  • Gerenciador de conteúdo que permite a manutenção de conteúdo de vários tipos categorizados dentro da aplicação de alguma forma e que fornece diferentes formas de visualização;
  • Gerenciador de usuários que permite a administração tanto dos usuários que acessam o sistema com o intuito de obter informações quanto dos administradores e mantenedores do sistema, divididos em categorias com níveis de permissões diferentes se assim for necessário;
  • Gerenciador de mídia que permite a execução de tarefas básicas de inclusão e remoção de arquivos de mídia, tais como imagens, sons e vídeos;

Por que usar uma ferramenta de CMS?

CMS WheelEm uma palavra: autonomia.

Quando você possui um site criado em uma estrutura tradicional, ou seja, todo o desenvolvimento do site é personalizado e realizado por uma equipe de desenvolvedores e, caso não seja criada uma interface administrativa muito robusta (o que encarece bastante o valor dos projetos), a administração futura desse website ficará sempre a cargo destes desenvolvedores. Qualquer novo conteúdo que precise ser criado, novas páginas, novo layout, deverá ser realizado por eles e só depois disso que será visualizado no site. É custo em cima de custo.

Entre as limitações mais óbvias no desenvolvimento tradicional podemos ressaltar as seguintes:

  • A administração do site geralmente fica atrelada a um computador específico, onde o software está instalado e configurado (senhas de FTP, licença de uso do programa, etc);
  • São comuns modificações acidentais nas páginas e em seus códigos, pois o conteúdo, neste caso, está misturado com a lógica de programação. Isto pode resultar em links quebrados, problemas de formatação, alterações no design e até mesmo a indisponibilidade do site como um todo;
  • Ao longo do tempo, as páginas criadas no seu site ficam “perdidas”. É difícil implementar um mecanismo de pesquisa granular e organizar as informações em seções e categorias para que possam ser facilmente encontradas. A arquitetura da informação é comprometida, bem como a experiência e satisfação do usuário final.

Fazendo uma analogia, é como se fizéssemos um “puxadinho” a cada vez que quiséssemos ampliar a nossa casa.

Felizmente existe uma solução para isto: um sistema de gerenciamento de conteúdo, cujo objetivo é exatamente o de estruturar e facilitar a criação, administração, distribuição, publicação e disponibilidade da informação.

Parece complexo, mas, sob o ponto de vista do usuário final, não é. Um CMS oferece ferramentas simples, todas acessadas através de qualquer navegador, que permite realizar todo o processo de gerência, desde a criação até o arquivamento do conteúdo.

Segundo este artigo publicado no Webinsider, temos como vantagens do uso de uma ferramenta de CMS os seguintes itens:

  • Estruturação do processo de autoria, no qual toda a sua equipe poderá contribuir, cada um na sua área de atuação e conhecimento;
  • Diminuição do tempo necessário para a criação de novas páginas e atualizações das já publicadas;
  • Harmonia estética com o resto do site e demais conteúdos;
  • Melhor estruturação da navegação, mantendo a coerência com projeto inicial de arquitetura da informação;
  • Maior flexibilidade, para acrescentar ou editar conteúdos de forma descentralizada e em qualquer lugar, dia ou noite, dentro ou não do escritório;
  • Permissão granular de acesso às informações publicadas;
  • Maior segurança;
  • Gerenciamento de versão dos conteúdos;
  • Escalabilidade;
  • Diminuição dos custos de manutenção.

Em termos simples, um CMS permite que a empresa tenha total autonomia sobre o conteúdo e evolução da sua presença na internet e dispense a assistência de terceiros ou empresas especializadas para manutenções de rotina. Nem mesmo é preciso um funcionário dedicado (o famoso webmaster), pois cada membro da equipe poderá gerenciar o seu próprio conteúdo, diluindo os custos com recursos humanos.

Algumas ferramentas de CMS disponíveis no mercado

Hoje temos várias ferramentas de CMS disponíveis, gratuitas ou pagas, e cabe a você de acordo com a sua necessidade, gosto pessoal, funcionalidades que a ferramenta disponibiliza, etc. escolher dentre todas a melhor pra você. Este artigo da Computerworld pode te ajudar um pouco nessa escolha.

Vou começar pelas ferramentas gratuitas, fazendo um breve resumo sobre cada uma delas:

JoomlaJoomla

Derivado do Mambo, o Joomla! é um pacote básico que pode ganhar funcionalidades, como comércio eletrônico, por módulos avulsos. Isso se traduz em menos tempo de desenvolvimento, código na medida da necessidade e backup simples.

Entre os recursos nativos, destacam-se a identificação dos usuários que estão online e em quais páginas. Os add-ons são acrescidos sem esforço – dá para fazer o upload do módulo até compactado. O Joomla! possui uma administração visual e design flexível. A maior parte dos ajustes é feita marcando e desmarcando opções, e o módulo é definido já com sua posição na página. Os itens podem ser editados direto no site, desde que o administrador esteja logado.

DrupalDrupal

Quem começa agora a entrar em contato com a criação de sites mais sofisticados vai se dar bem com o Drupal. O software oferece assistentes em todas as fases do trabalho, desde a instalação, bastante simples, até o desenvolvimento e a administração. Os textos dos assistentes são detalhados e longos, e isso pode aborrecer quem já é do ramo e quer ir logo ao ponto.

Modular e escrito em linguagem de programação PHP como o Joomla!, o Drupal tem mais uma opção de instalação: além de servidor web Apache com banco de dados MySQL, admite servidor Microsoft IIS e banco de dados PostgreSQL.

Há muitos módulos avulsos disponíveis para Drupal, mas não em tão grande quantidade quanto para Joomla!, deixando o usuário mais dependente de novos desenvolvimentos da comunidade.

TikiWikiTikiWiki

O TikiWiki contém um grande número de recursos nativos, entre eles, botão para imprimir a página sem menus e exportação do conteúdo para PDF.

O TikiWiki suporta PHP e conversa melhor com MySQL, apesar de suportar outros bancos de dados. A instalação é simples e indolor. O software vem em inglês, mas é nativamente multilíngüe, facilitando a tradução para o português. Na administração, o volume de recursos entra como um complicador. A operação é chatinha, a começar da definição de 177 permissões de visualização e ação de um site básico para cada usuário, consumindo boa parte do tempo de desenvolvimento. Em design, o TikiWiki é engessado, limitando a personalização à mudança de fontes e cores. Também não possui conexão com e-commerce, o que o indica para intranets.

WordpressWordPress

Ferramenta mais popular para criação de blogs conta com uma grande quantidade de plugins que podem ser facilmente instalados somente fazendo o upload dos arquivos para a pasta específica. Tem uma interface simples e amigável que facilita bastante o uso por usuários iniciantes.

Escrito em PHP trabalha com o banco de dados MySQL. A instalação é simples e dura pouco mais de 5 minutos. Como o WordPress é um CMS específico para criação de blogs, ele não é indicado para quem quer construir seu site com uma interface mais de Portal ou Intranet. É nativamente multilíngüe, onde a linguagem padrão do cliente é automaticamente selecionada sem a necessidade de intervenção dos administradores.

E agora duas ferramentas pagas, muito utilizadas nas grandes empresas para criação de seus sites externos e internos:

LumisLumis

Ferramenta de CMS nacional com diversos recursos embutidos e a possibilidade de gerenciar o conteúdo de forma transparente. A montagem do layout também é completamente visual e simples de ser realizada. Desenvolvido nas versões ASP e Java pode se integrar com qualquer banco de dados, dando preferência para o SQL Server.

O seu conceito de utilização de serviços e interfaces facilita muito o trabalho de reutilização de um mesmo componente em diversas áreas do site com seus conteúdos e permissões completamente diferenciados entre si. Basta fazermos a operação de arrastar-e-soltar para que uma nova interface seja instanciada na sua página.

Permite a criação de templates e também cacheamento de páginas, possibilitando uma grande escalabilidade exigindo o mínimo dos servidores. A extensibilidade de seus serviços também é simples, exigindo um nível de desenvolvimento mínimo e fornecendo APIs para integração do core do CMS com aplicações personalizadas.

VignetteVignette

O Vignette também possui uma vasta gama de recursos embutidos e possibilidades de gerenciamento de conteúdo de forma transparente. Na sua última versão (até o momento a 8.0) a experiência com o usuário foi incrementada sensivelmente para dar mais facilidade para realizar a manutenção.

Escrito em Java e integrado preferencialmente com o banco de dados Oracle, o Vignette permite que sejam utilizados outros bancos de dados. A integração do Vignette Application Portal (um dos produtos da suíte) com o Dynamics permite a atualização do Portal de forma totalmente visual, com o usuário já visualizando o resultado em tempo real.

Utiliza o conceito de Portlets para maximizar a reutilização do seu código e facilitar o desenvolvimento de novas funcionalidades.

Para saber mais…

Para conhecer e testar algumas dessas ferramentas sem precisar fazer a instalação recomendo os seguintes sites:

  • Open Source CMS: neste site é possível testar as versões mais atuais dos CMS;
  • CMS Matrix: neste site pode-se avaliar e comparar as diversas opções de CMS.

Pra finalizar, como já está virando costume, um pequeno vídeo explicando o que é CMS:

Um abraço a todos!

UPDATE 22/10/2009 às 13:43h

Procurando ferramentas de CMS escritas para o desenvolvimento em .NET (linguagem de programação que eu uso atualmente), encontrei algumas boas opções que podem ser consideradas. Dei uma estudada nelas e agora passo um resumo do que cada uma possui nessas minhas primeiras impressões.

SitefinitySitefinity

Sitefinity é uma plataforma de desenvolvimento para construção e manipulação de sites, portais e intranets. Inspirada em WEB GUI’S 2.0, o produto proporciona uma experiência de alto nível ao usuário final, assim como uma arquitetura flexível que permite aos desenvolvedores um controle total. Possui uma interface visual do estilo arrastar-e-soltar que é muito intuitiva para o usuário e também a integração com o Visual Studio e suporta diversos bancos de dados. Trabalha com o conceito de web controls para poder criar uma página completamente dinâmica.

O grande porém é que ele é pago, e bem caro. A boa notícia é que ele possui também uma versão free. Um comparativo entre as duas versões pode ser visto aqui. Para sites menores a versão free atende muito bem. Vale a pena dar uma testada.

Para fazer um tour interativo neste CMS é só clicar aqui.

Umbraco

Umbraco

Este CMS .NET segue os preceitos Open Source. É simples e fácil de usar, além de ter uma interface visual amigável. É um CMS que suporta qualquer browser recente e que permite também edição com Microsoft Word. Os designers podem criar XHTML fácil e acessível deixando o seu markup intacto e os desenvolvedores podem integrar qualquer .net control de maneira rápida.

A instalação deste CMS não demora mais do que 5 minutos e é totalmente compatível com Ajax. Possui um layout bem flexível através de XML e XSLT. Suporta C#, VB.NET e Python como linguagens de programação.

Quem quiser fazer um tour sobre este ótimo CMS open source, é só clicar aqui.

Dotnetnuke

Dotnetnuke

O Dotnetnuke é em primeira instância um framework para o desenvolvimento de aplicações web. É gratuito, com o código-fonte aberto e disponível na internet. O projeto foi iniciado em 2002 e conta hoje não só com uma quantidade imensa de desenvolvedores, como também um bom número de empresas e profissionais que se especializaram em oferecer produtos e serviços para o CMS, como: componentes, skins, suporte, treinamento e hospedagem.

Apesar de ter um processo de instalação tortuoso, esse software oferece amplos recursos para quem desenvolve sites profissionais. Um dos seus pontos fortes é ser modular. O desenvolvedor pode adicionar ou remover módulos de acordo com suas necessidades, e até desenvolver seus próprios módulos em ASP.NET.

Quem quiser saber mais sobre o Dotnetnuke, pode ver o site deste entusiasta do framework aqui e um vídeo de introdução aqui.

AxCMSAxCMS.NET

Sobre esse CMS eu não consegui distinguir muitas informações, mas coloco aqui já que entra como um dos CMSs recomendados no site da Microsoft.

Se quiserem saber um pouco mais sobre esse CMS (e deixar suas impressões na área de comentários), podem ver essa gama de vídeos aqui.

Mais uma vez, um abraço a todos!

    escrito por Leonardo Schneider
    tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


    6 Respostas para “CMS: Você ainda vai usar um”

    1. 1. Ricardo Fernandes escreveu:

      Outro ótimo post Leonardo. Parabéns ! O titulo do post poderia ser completado com “… e não vai querer mais deixá-lo”. Este é o meu caso trabalho com CMS desde o Lumis ASP e atualmente com o Lumis Java e Joomla e não penso em voltar a trabalhar da forma arcaica dos tempos de ACMS (Antes dos CMS).

    2. 2. Leonardo Schneider escreveu:

      Fala Ricardo! Valeu mesmo!
      Eu queria colocar também um exemplo de um CMS feito para aplicações em .NET, mas não achei nenhum que fosse recomendado. Achei vários na Internet, mas em nenhum deles consegui ver algumas impressões, feedbacks, etc.
      Você conhece algum que vale a pena ser usado?

    3. 3. Leonardo Schneider escreveu:

      Pessoal,

      Achei uma série de CMSs para programação em .NET e fiz um update no post colocando alguns deles que eu achei mais relevantes, com destaque para o Sitefinity e o Umbraco.

      Abraços!

    4. 4. Tatiane escreveu:

      Parabéns Leo! Matérias bem interessantes.

      A propósito, suas férias já começaram? :) Brincadeirinha….

    5. 5. Joao Paulo escreveu:

      Pessoal,
      Estou engatinhando com o Umbraco e de cara fiquei impressionado.
      Gostaria de saber se alguem tem ou sabe onde tem a tradução dele para pt-br.

      Abraços

    6. 6. Wellington Grandy escreveu:

      Usei umbraco em um projeto, demorei aprender…rs depois descobri que era mais facil do que imaginava. Ainda tinha uns bugs, mas acredito que duas versões após a que usei, teve ter melhorado. Em suma, boa ferramenta pode invertir, vale a pena!

    Deixe um comentário